Comparação Do Nível De Atividade Física E Qualidade De Vida De Crianças E Adolescentes Com Deficiência Física

Autores

DOI:

https://doi.org/10.37497/colloquium.v2i1.33

Palavras-chave:

Atividades Físicas, Qualidade de Vida, Criança, Adolescente, Deficiências Físicas

Resumo

O nível de atividade física de crianças e adolescentes com deficiência física é menor do que crianças sem deficiência, e isso pode estar relacionado ao seu comprometimento motor. A participação nestas atividades pode ter impacto na qualidade de vida. O objetivo desse estudo foi comparar o nível de atividade física e a qualidade de vida de crianças e adolescentes com deficiência física em relação a idade, sexo e diagnóstico. Participaram 21 crianças e adolescentes com deficiência física, com idade entre 8 e 18 anos, matriculados em escola regular de ensino, e seus responsáveis. Foram utilizados instrumentos padronizados: Physical Activity Questionnaire for Older Children (PAQ-C), Physical Activity Questionnaire for Adolescents (PAQ-A) e KIDSCREEN-52 versão de preenchimento das crianças/adolescentes e versão de preenchimento dos responsáveis. Foram realizados testes não paramétricos para análise estatística. Dados estatisticamente significativos foram encontrados para algumas dimensões da qualidade de vida: 1) quanto ao sexo: “autopercepção” segundo a opinião dos pais/responsáveis; 2) quanto à idade: “autopercepção” no autorrelato, “sentimentos”, “autopercepção”, “amigos e apoio social”, “ambiente escolar” sob o ponto de vista dos pais/responsáveis, e na análise geral da qualidade de vida tanto no autorrelato quanto na versão dos pais/responsáveis; 3) quanto ao diagnóstico: “autopercepção” na versão das crianças/adolescentes e na versão dos pais/responsáveis. Conclui-se que as crianças e adolescentes com deficiência física apresentam baixos níveis de atividade física e níveis médios de percepção de qualidade de vida, sendo que as próprias crianças/adolescentes com deficiência física possuem melhor percepção sobre sua qualidade de vida do que seus pais/responsáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Braccialli, L. M. P., Ferronato, B. P., Rubira, A. P. F. A., Reganhan, W. G., Sankako, A. N., Gonçalves, A. G., & Speciali, D. S. (2016). Qualidade de vida de crianças com paralisia cerebral: percepção de cuidadores [Internet]. Rev Bras Qual Vida, 8(1): 57-69. doi: 10.3895/rbqv.v8n1.3700

Braccialli, L. M. P., Silva, M. Z., Braccialli, A. C., Sankako, A. N., & Araújo, R. C. T. (2016). Impact of school participation on quality of life of Brazilian children with cerebral palsy. (2016) International Journal on Disability and Human Development, 15(1): 23-27. doi: https://doi.org/10.1515/ijdhd-2014-0024

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Promoção da Saúde. Guia de Atividade Física para a População Brasileira [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção Primária à Saúde, Departamento de Promoção da Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2021. 54p.

Chan, K. L., Lo, C. K. M., Ho, F. K., & Ip, P. (2019). Disability-specific associations with child health and functioning. International journal of environmental research and public health, 16(6): 1024.

Dahan-Oliel, N.; Shikako-Thomas, K.; & Majnemer, A. (2012). Quality of life and leisure participation in children with neurodevelopmental disabilities: a thematic analysis of the literature. Quality of Life Research, 21(3): 427-439.

Demirci, P. T. (2019). Recreational activities for with disability: School-Aged children and adolescents. Uluslararası Rekreasyon ve Spor Bilimleri Dergisi, 3(1): 46-57.

Gaspar, T., Matos, M. G., Ribeiro, J. L. P., Leal, I., Ferreira, M., Tomé, G., . . . Ravens-Sieberer, U. (2008). Instrumentos KIDSCREEN-52 – versão portuguesa (KIDSCREEN-52 crianças e adolescentes e KIDSCREEN-52 pais). In: Gaspar, T; Matos, M. G. Qualidade de vida em crianças e adolescentes versão portuguesa dos instrumentos KIDSCREEN-52. Lisboa: Aventura Social e Saúde. Parte 2.

Gilor, O.; Klibanski, H.; Kfir, D. (2020). Implementation and Organisation of Leisure Activities for Children with Disabilities: Coping with Difficulties. International Journal of Disability, Development and Education, p. 1-19.

Guedes, D. P.; Guedes, J. E. R. P. (2011). Tradução, adaptação cultural e propriedades psicométricas do KIDSCREEN-52 para população brasileira. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, 29(3): 364-372.

Guedes, D. P.; Guedes, J. E. R. P. (2015). Medida da atividade física em jovens brasileiros: reprodutibilidade e validade do paq-c e do paq-a. Rev. Bras. Med. Esporte, 21(6): 425-432.

Jin, J., Yun, J., & Agiovlasitis, S. (2018). Impact of enjoyment on physical activity and health among children with disabilities in schools. Disability and Health Journal, 34(1); 14-19.

Kim, S.-Y. (2020). Understanding Activity Participation in Children with Physical Disabilities in Korea. International Journal of Child Welfare Promotion and Management, 4(1): 7-14.

Lauruschkus, K., Westbom, L., Hallström, I., Wagner, P., & Nordmark, E. (2013). Physical activity in a total population of children and adolescents with cerebral palsy. Res Dev Disabil, 34(1): 157-67. doi: 10.1016/j.ridd.2012.07.005.

Law, M., King, G., King, S., Kertoy, M., Hurley, O., Rosenbaum, P., . . . Hanna, S. (2006). Patterns of participation in recreational and leisure activities among children with complex physical disabilities. Dev Med Child Neurol, 48(5):337-42. doi: 10.1017/S0012162206000740.

Longo, E., Badia, M., & Orgaz, B. M. (2013). Patterns and predictors of participation in leisure activities outside of school in children and adolescents with Cerebral Palsy. Research in Developmental Disabilities, Jan; 34 (1): 266-75. doi: 10.1016/j.ridd.2012.08.017.

Makris, T.; Dorstyn, D.; Crettenden, A. (2019). Quality of life in children and adolescents with cerebral palsy: a systematic review with meta-analysis. Disability and rehabilitation, 1-10.

Mensch, S. M., Echteld, M. A., Lemmens, R., Oppewal, A., Evenhuis, H. M., & Rameckers, E. A. A. (2019). The relationship between motor abilities and quality of life in children with severe multiple disabilities. Journal of Intellectual Disability Research, 63(2): 100-112.

Orlin, M. N., Palisano, R. J., Chiarello, L. A., Kang, L.-J., Polansky, M., Almasri, N., & Maggs, J. (2010). Participation in home, extracurricular, and community activities among children and young people with cerebral palsy. Dev Med Child Neurol 52(2):160-6. doi: 10.1111/j.1469-8749.2009.03363.x.

Palisano, R. J., Chiarello, L. A., Orlin, M., Oeffinger, D., Polansky, M., Maggs, J., . . . Gorton, G. (2011). Determinants of intensity of participation in leisure and recreational activities by children with cerebral palsy. Dev Med Child Neurol, 53(2):142-9. doi: 10.1111/j.1469-8749.2010.03819.x.

Ribeiro-Silva, P. C., Marinho, N. F. S., Brito, W. S., Costa, N. E., & Benda, R. N. (2018). Desempenho motor em habilidades básicas de crianças participantes e não participantes de prática esportiva orientada. J. Phys. Educ, 29: 1-11.

Silva, R. C. R., & Malina, R. M. (2000). Nível de atividade física em adolescentes do Município de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 16(4):1091-1097, out-dez.

Schreuer, N.; Sachs, D.; Rosenblum, S. (2014). Participation in leisure activities: Differences between children with and without physical disabilities. Research in Developmental Disabilities, 35: 223-233.

Varni, J.; Burwinkle, T.; Sherman, S. (2005). Health-related quality of life of children and adolescents with cerebral palsy: hearing the voices of the children. Dev Med Child Neurol. 47:592-7.

Downloads

Publicado

2022-12-19

Como Citar

SILVA, F. C. T. da; FERREIRA, J. P.; BRACCIALLI, L. M. P. Comparação Do Nível De Atividade Física E Qualidade De Vida De Crianças E Adolescentes Com Deficiência Física. Colloquium: health and education, Mooca (SP), v. 2, n. 1, p. e033, 2022. DOI: 10.37497/colloquium.v2i1.33. Disponível em: https://colloquimhealtheducation.com.br/recs/article/view/33. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos